Paranoia do Passado

quinta-feira, 6 de março de 2014

Postado por:Maria Raquel Silva


Não me entenda mal.
Eu não quero ser esse tipo de garota. O tipo pegajosa, o tipo que pega muito pesado.
Não sou esse tipo de garota. Nunca fui.

Mas não consigo evitar.
É só uma reação natural do meu organismo ao que tudo isso representa.
Ao que você representa.

Quando me olha daquele jeito.
Mesmo sem maquiagem. Mesmo sem nada.
De um jeito como se você fosse quem tivesse tirado a sorte grande, não eu.
Como se eu fosse a melhor coisa no cômodo.

Não é uma questão de auto-estima baixa.
Sei que sou bonita. E gostosa.
E que caras querem ficar comigo.
Mas só porque sei essas coisas, não quer dizer que realmente acredite nelas o tempo todo.

Anos sendo ignorada, anos de "prefiro sua amiga", não desaparecem tão fácil.
Eles grudam em você.
Entram dentro da sua pele. Mexem com a sua cabeça.
Fazem ver coisas te encarando de volta no espelho.
Coisas que não estão lá de verdade.

Então desculpe se sou meio lunática às vezes.
Se acho que você vai me ignorar por completo a partir da semana que vem.
É que realmente não consigo entender como alguém como você poderia querer alguém como eu.
É loucura, eu sei, mas algumas coisas ficam com a gente pra sempre.
E a paranoia é uma delas.

 

Doces Comentários Ácidos
Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos e bTemplates
Imagens em: Foter
Logotipo original por M.R. Silva e FreeLogoServices